Parque da Guarita: morros recebem iluminação colorida para marcar seus 50 anos

Os morros do Parque da Guarita ganham iluminação colorida desde o início de 2021.

Por f.luce 11/02/2021 - 14:06 hs
Foto: pmt/imprensa
Parque da Guarita: morros recebem iluminação colorida para  marcar seus 50 anos
divulgação

 

 A iniciativa marca a comemoração dos 50 anos do Parque. O espetáculo de luzes que encanta a todos, ocorre diariamente, durante cerca de três horas, em torno das 20h30min e 23h30min. 

A iniciativa integra o projeto de revitalização do Parque que visa firmar este patrimônio ambiental no patamar de turismo internacional.

 

Desde janeiro, à noite, 32 refletores dão cor aos morros do Parque. Eles são apontados para as rochas, com o propósito de evitar impacto na fauna e flora. Por enquanto, a iluminação que é a mais nova atração do Parque deve ficar até o fim da temporada de verão. Mas a Secretaria Municipal de Turismo pretende obter licença ambiental para permanência desta magia que deslumbra visitantes e moradores, informa o secretário Fernando Nery. Outra boa notícia é de que o investimento é autossustentável. O custo é pago com o montante recolhido na portaria do Parque.

 

Além do colorido dos morros, que têm atraído mais visitantes ao Parque, o local está recebendo muitas melhorias. Nos últimos dias, dentro do projeto de revitalização, teve toda sinalização renovada para melhor e mais eficiente orientação ao público. Ainda dentro do propósito do Parque da Guarita se reestruturar para bem recepcionar seus visitantes, a Prefeitura realizou uma licitação em fins de 2020 para concessão de novo restaurante, O antigo já não operava no lugar há mais de 20 anos. A grande preocupação da Secretaria do Turismo é a preservação do meio ambiente porque este é o maior patrimônio de Torres, salienta Nery.

 

O Parque da Guarita, denominado oficialmente Parque Estadual José

Lutzenberger, é uma Unidade de Conservação Brasileira. Criado para

valorizar e preservar o lugar, teve seu início em 28 de dezembro de

1971, com um decreto que declarou a área de utilidade pública, e leva

desde 2003 o nome do reconhecido ambientalista José Lutzenberger. O

projeto do Parque foi desenvolvido pelo famoso paisagista paulista, Burle Marx e a execução foi conferida a Lutzenberger, engenheiro agrônomo que foi um dos fundadores da Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (Agapan) e um dos principais entusiastas do Parque.