Hipermetropia é uma das causas do estrabismo

A hipermetropia se caracteriza pela dificuldade de enxergar, principalmente, de perto, devido ao esforço do olho para acomodar e focar os objetos. Esse erro refrativo pode levar ao desenvolvimento de um tipo de estrabismo: o estrabismo acomodativo.

Por F. Luce 26/01/2021 - 12:25 hs
Foto: amanf.org.br
Hipermetropia é uma das causas do estrabismo
Divulgação


Segundo Dra. Marcela Barreira, Oftalmologista Pediátrica e especialista em Estrabismo, a hipermetropia leva a criança a realizar muito esforço para conseguir enxergar um objeto próximo. “Com isso, pelo esforço acomodativo que o olho faz, perde o alinhamento e se desvia para dentro, em direção ao nariz”.

 

Alerta aos pais

Normalmente, o estrabismo acomodativo se desenvolve entre o primeiro e o segundo ano de vida. “A visão se desenvolve do nascimento até por volta dos sete anos. Nos primeiros meses de vida é comum o bebê entortar o olho para dentro. Entretanto, se depois dos três meses esse desvio for constante, é preciso procurar um oftalmopediatra”, reforça Dra. Marcela.

 

Óculos é o tratamento padrão

Uma vez que o estrabismo acomodativo é causado pela hipermetropia, o tratamento padrão é a correção do grau com óculos.

 

“De todos os tipos de estrabismo, é um dos únicos que não tem indicação cirúrgica. Mas, isso não quer dizer que não precisa de tratamento. Todos os estrabismos devem ser corrigidos na infância para não afetar o desenvolvimento da visão”, explica a especialista.

 

Uso de tampão pode ser necessário

Em alguns casos de estrabismo acomodativo, o uso de tampão pode ser indicado para prevenir o desenvolvimento da ambliopia, mais conhecida pelo termo “olho preguiçoso”.

 

“Qualquer condição que interfira na visão no período considerado crítico para o desenvolvimento visual, ou seja, do nascimento até por volta dos sete anos de idade, pode levar à ambliopia. Por isso, as condições que afetam a visão na infância, como o estrabismo, precisam ser corrigidas precocemente”, reforça Dra. Marcela.

 

“A ambliopia se desenvolve quando o cérebro suprime por tempo prolongado a imagem captada pelo olho afetado pelo desvio. Esse padrão de supressão pode resultar em uma redução da visão no olho com o desvio, que não pode ser corrigida com óculos ou cirurgia refrativa. Ou seja, sem tratamento, essa condição pode se tornar irreversível”, diz a médica.

 

Cirurgia pode ser necessária

Enquanto os outros tipos de estrabismo só podem ser corrigidos com cirurgia, o acomodativo é tratado com óculos.

 

“A cirurgia só está indicada nos casos de estrabismo parcialmente acomodativo. Nesses pacientes, o uso de óculos diminui o tamanho do desvio, mas não o corrige completamente. Portanto, é necessário realizar a cirurgia para corrigir o desvio que sobra mesmo com o uso das lentes corretivas”, finaliza Dra. Marcela.

 

 

Para mais informações, contatar:

Leda Sangiorgio

Assessoria de Imprensa

(11) 98902-0053

leda@agenciahealth.com.br